Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2016

MESMER TECE COMENTÁRIOS SOBRE MEDIUNIDADE CURADORA

Imagem
+Sociedade dos Espíritos
Mensagens de Mesmer (Espírito): A Revista Espírita, editada por Allan Kardec, em suas edições de Janeiro e Outubro/1864 e Maio/1865 publicou quatro instrutivas mensagens mediúnicas assinadas por Mesmer, abordando os temas: Médiuns Curadores,Fenômenos EspíritasImigração dos Espíritos Superiores para a Terra Criações Fluídicas.
Dentre os seus conceitos sobre mediunidade de cura e magnetismo, destaca-se o seguinte tópico: “A vontade desenvolve o fluido seja animal, seja espiritual, porque, o sabeis todos agora, há vários gêneros de magnetismo, entre os quais estão o magnetismo animal e o magnetismo espiritual que pode, segundo a ocorrência, pedir apoio ao primeiro. Um outro gênero de magnetismo, muito mais poderoso ainda, é a prece que uma alma pura e desinteressada dirige a Deus.” (Revista Espírita, Jan./1864, p. 7, IDE.)
Vejamos abaixo, na íntegra, a mensagem que acabamos de citar:
Médiuns Curadores
“A vontade, existindo no homem em diferentes graus de desenvolv…

QUAL A FUNÇÃO DA FUNDANGA DENTRO DA UMBANDA?

Imagem
+Sociedade dos Espíritos
A Umbanda possui seu lado magistico se assim podemos dizer, onde alguns elementos são dinamizados pelos guias para poder realizar trabalhos que auxiliem mais a libertação de seus assistidos de campos negativos onde os mesmos estejam. A FUNDANGA ou pólvora como é conhecida popularmente quando acionada após a evocação, cria um poder de fogo e deslocamento fluídico de partículas que não só afastam cargas densas, seres levianos como consomem através da força do fogo (salamandras) todos os campos negativos e cordões energéticos que estejam a volta de quem esteja sofrendo algum mal. Infelizmente poucos dirigentes, sacerdotes ou zeladores dão importância para algumas práticas de magia branca de Umbanda e ignoram a força dos elementais da natureza que falaremos em outra oportunidade.
By Sociedade dos Espíritos

LER ESTE TEXTO TALVEZ LHE FAÇA BEM!

Imagem
+Sociedade dos EspíritosO Maior Mandamento 4 – Mas os fariseus, quando viram que Jesus tinha feito calar a boca aos saduceus, se ajuntaram em conselho. E um deles,que era doutor da lei, tentando-o, perguntou-lhe: Mestre, qual é o maior mandamento da lei? Jesus lhes disse: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração,e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas. (Mateus, XII: 34-40)
5 –Caridade e humildade, esta é a única via de salvação; egoísmo e orgulho, esta é a via da perdição. Esse princípio é formulado em termos precisos nestas palavras: “Amarás a Deus de toda a tua alma, e ao teu próximo como a ti mesmo; estes dois pensamentos contêm toda a lei e os profetas”. E para que não houvesse equívoco na interpretação do amor de Deus e do próximo, temos ainda: “E o segundo, semelhante a este, é: Amarás a teu próximo …

VELHAS RECORDAÇÕES, VELHAS DOENÇAS - HAMMED

Imagem
+Sociedade dos Espíritos

Quantas vezes perdoarei a meu irmão? Perdoar-lhe-eis não sete vezes, mas setenta vezes sete vezes...”

“... Escutai, pois, essa resposta de Jesus e, como Pedro, aplicai-a a vós mesmos; perdoai, usai de indulgência, sede caridosos, generosos, pródigos mesmo de vosso amor...”

(“O Evangelho Segundo o Espiritismo” - Capítulo 10, item 14.)



Trazemos múltiplos clichês mentais arquivados no inconsciente profundo, resultado de velhas recordações danosas herdadas das mais variadas épocas, seja na atualidade, seja em outras existências no passado distante.

Essas fontes emitem, através de mecanismos psíquicos, energias que não nos deixam sair com facilidade do fluxo desses eventos desagradáveis, registrados pelas retinas da alma, mantendo-nos retidos em antigas mágoas e feridas morais entre os fardos da culpa e da vergonha.

Por não recordarmos que o perdão a nós mesmos e aos outros é um poderoso instrumento de cura para todos os males, é que impedimos o passado de fluir, não dan…

FLUIDO VITAL é o mesmo que MAGNETISMO ANIMAL?

Imagem
+Sociedade dos Espíritos
Sim. Fluido Vital, termo usado nos livros de Allan Kardec, é exatamente o Magnetismo Animal, criado pelo médico Franz Anton Mesmer no século 18.


Quando se segura dois ímãs, aproximando-os pelos pólos iguais, eles se repelem, dando a impressão de duas superfícies invisíveis se tocando. Mesmer fez uso dessa experiência simples e muito conhecida na época para, por analogia, explicar que os seres estão interligados por seus pensamentos, por um meio invisível natural, uma força imperceptível pelos sentidos comuns. A esse meio Mesmer deu o nome de magnetismo animal, pois relaciona-se à vida orgânica.

Algumas décadas depois, estudando esse fenômeno, o criador da homeopatiaSamuel Hahnemann (1755-1843), fez uso do termo energia vital. Aliás, Hahnemann estudou o magnetismo, que qualificou como “esse maravilhoso e inestimável presente com que Deus agraciou o homem”, e incorporou essa terapia à prática homeopática. Rivail (que depois adotaria o pseudônimo Allan Kardec), po…

O UMBANDISTA PODE FAZER O EVANGELHO NO LAR?

Imagem
+Sociedade dos Espíritos



O UMBANDISTA PODE FAZER O EVANGELHO NO LAR?

R: Sim, não existe problema algum nesta prática. Vale lembrar que o culto do evangelho no lar foi criado por Jesus nas noites em que ele pernoitava em algumas casas com os apóstolos. Lá Ele realizava reuniões doutrinárias com o propósito de despertar o melhor dentro de cada um. O culto do evangelho no lar é uma das inciativas de Jesus que faz do mesmo, assim como dos outros quatro livros codificados por Kardec parte do "consolador prometido" que esta citado no apocalipse de João na carta a igreja da Filadélfia. Comparecem nesta reunião também os caboclos, pretos velhos, baianos e a linha de Umbanda que realizam durante a mesma uma limpeza energética em todos os membros da família, desobsessões e desmanche de magias negativas. A reunião é doutrinária e auxilia cada membro da família em sua reforma intima. É preciso quebrar o preconceito existente em ambas às partes, ou seja, espiritas e umbandistas. A união s…

MAGNETISMO e HIPNOTISMO

Imagem
+Sociedade dos Espíritos
Histórico No tempo de Ísis (Egito), os sacerdotes caldeus utilizavam os passes para o restabelecimento da saúde humana. No século XV muito se falava na simpatia magnética, designando um sistema análogo nas suas bases essenciais, ao que tinha sido formulado por Paracelso. No século XVII Van Helmont, muito citado na Alta Magia, afirmava ter obtido curas valiosas com a aplicação do ímã e de placas metálicas nos corpos de doentes. Um contemporâneo dele, o jesuíta Hell, que também era físico de renome, obteve efeitos interessantes com a aplicação do ímã não só nos homens, mas também nos animais.  Até por volta do início do século XIX, a medicina era algo totalmente diferente do que conhecemos na atualidade e não havia uma nítida separação entre o médico, o curandeiro e o charlatão. Tal fato fez com que padres e até Reis do século XVI se auto-intitulassem “homens de cura”. A iniciativa dos padres era bem óbvia, uma vez que naquele tempo o conhecimento estava centrado n…

A MEDIUNIDADE CURADORA E O MAGNETISMO

Imagem
+Sociedade dos Espíritos
O conhecimento da mediunidade curadora é uma das conquistas que devemos ao Espiritismo. Os médiuns que obtêm as indicações de remédios da parte dos Espíritos não são o que se chama médiuns curadores, porque não curam por si mesmos; são simples médiuns escreventes que têm uma aptidão mais especial do que outros para esse gênero de comunicações, e que, por essa razão, podem se chamar médiuns consultantes (consultores), como outros são médiuns poetas ou desenhistas. A mediunidade curadora se exerce pela ação direta do médium sobre o doente, com a ajuda de uma espécie de magnetização de fato ou de pensamento.

Quem diz médium diz intermediário. Há esta diferença entre o magnetizador e o médium curador, pois que o primeiro magnetiza com o seu fluido pessoal, e o segundo com o fluido dos Espíritos, ao qual serve de condutor.
O Espírito pode agir diretamente, sem intermediário, sobre um indivíduo, assim como se pôde constatar em muitas ocasiões, seja para aliviá-lo, curá…