O SISTEMA RELIGIOSO DE MARTE POR RAMATIS



PERGUNTA: Qual é a concepção a respeito de Religião em Marte? 
RAMATIS: A ciência está absolutamente conjugado à Fé. A sabedoria e o sentimento estão intimamente unidos na mais lídima expressão de harmonia espiritual. Todas as conquistas dos marcianos no campo científico são uníssonas no campo da Fé. Os sábios marcianos não investigam nem pesquisam à semelhança de alguns cientistas da Terra que, procurando a origem das coisas divinas nas premeditações "terra-a-terra", sistematizam ou incorrem na negação inconsciente. A Ciência em Marte alenta todos os seus projetos e objetivos com o calor inerente à sua confiança ilimitada nos poderes superiores e diretores da vida cósmica. 

PERGUNTA: Porventura, há em Marte crenças diversas ou seitas religiosas, como acontece na Terra, defendendo postulados doutrinários distintos ou divergentes entre si? 
RAMATIS: São diversos os sistemas de devocionamento a Deus, embora todos convergindo para o mesmo objetivo espiritual. Não existem instituições dogmáticas defendendo postulados opostos, em conflito ideológico. Embora se distingam certas preferênciae de ordem mental, psicológica, estética, climática ou emotiva, a preocupação fundamental entre todos é a prevalência de fraternal unidade na diversidade. 

PERGUNTA: Poderá citar alguns exemplos mais objetivos, compatíveis com a morfologia do nosso mundo? RAMATIS: Não ocorrem diferenças doutrinárias ou interpretações antagônicas, da idéia Divina. Todos os sistemas religiosos são reencarnacionistas, admitem a pluralidade dos mundos e entram em contato com os espíritos desencarnados. Desaparece o conflito religioso, porque todos devocionam Deus sob o mesmo aspecto do Absoluto, o Incriado ou Onipotente, acima de qualquer pretensão descritiva. Consideram a Mente Suprema como sempre existente, sem princípio nem fim – a causa sem causa. Em todo o orbe marciano, a concepção de Deus é uma só: o Absoluto Incriado Criador. 

PERGUNTA: Em que sentido diferem de nós? 
RAMATIS: Apenas no processo devocional, que reúne os grupos na conformidade de sua estrutura psicológica mental, emocional ou espiritual.

PERGUNTA: Servem-se de cerimônias ou liturgias, à parte, em templos apropriados? 
RAMATIS: Congregam-se em templos, instituições ou comunas religiosas, distintas, entre si, quanto à feição devocional, mas sempre culminando no mesmo objetivo de alcance espiritual.

PERGUNTA: A estrutura desses templos ou instituições religiosas assemelha-se à da Terra? 
RAMATIS: Apresenta profunda analogia com a que adotais, exceto quanto ao material empregado, que é a substância vítrea, que lhes dá um aspecto de leveza e elasticidade, destacando-os muitíssimo das catedrais petrificadas e compactas que conheceis. Dispensam, no entanto, a exaustiva ourivesaria de pedra, os bordados excessivos nos granitos que enfeitam os edifícios religiosos terráqueos. A majestosa beleza que se evola de alguns deles depende exclusivamente da estética das linhas arquitetônicas, lembrando sonhos artísticos talhados no cristal colorido. Há, no entanto, dois estilos que muito se diferenciam, e que ireis conhecer, com detalhes, no decorrer destas comunicações. Os templos que se referem mais à emotividade dos marcianos apresentam edificação abobadada, de cúpulas translúcidas e torres que se erguem para o céu, lembrando antenas diamantíferas a captar o magnetismo divino do Alto. As instituições devocionais, onde os fiéis se agrupam atraídos pelas afinidades mentais, têm apenas as cúpulas gigantescas, sem as torres, formando deslumbrante cobertura refulgente, análoga ao cristal azulado, verde-seda, amarelo ou lilás rosa. Quase sempre se constituem de edifícios circulares, achaparrados, estendidos sobre fascinantes tapetes de verdura, pintalgados de flores. Os bosques límpidos, refrescantes e com fontes de água magnetizada e radioativa, formam extensos cordões em torno dos templos numa impressão graciosa de "ciranda" vegetal. Há, ainda, um ou dois tipos piramidais, inteiramente de lâminas vítreas e algumas edificações ao ar livre, sem abóbadas ou cúpulas, abertas ao influxo direto do sol, que atende ao gosto de inúmeros devotos, que na Terra lembrariam os antigos pitagóricos. 

PERGUNTA: Quais as diferenças desses credos, entre si, que os impelem a diversos sistemas devocionais, embora endereçados ao mesmo objetivo espiritual? 
RAMATIS: São agrupamentos simpáticos e eletivos, que atendem às várias disposições psicológicas dos devotos. Esses santuários, templos e instituições são preferidos pelos marcianos, conforme as suas atividades na vida profana. Diferem do vosso mundo, porque agrupam os seus adeptos pelas afinidades mentais, científiças, artísticas ou emotivas, em vez de comunidades divididas por um psiquismo heterogêneo. 

PERGUNTA: E não há contradição quanto ao mesmo objetivo religioso? 
RAMATIS: Variam no "modo devocional", mas não quanto ao objetivo único que é a mesma idéia de Deus. Na essência de suas venerações, o conteúdo é de uma só Religião. 

PERGUNTA: Como se exercem essas diferenças devocionais, formando uma só Religião? 
RAMATIS: A Religião não prescinde do Amor, nas suas manifestações sublimes porque é um esforço que a criatura empreende no sentido de "religar-se" com a Divindade. E os marcianos, embora sigam estilos diversos, entre si, quanto à devoção, identificam-se absolutamente pela mesma disposição amorosa para com Deus e o próximo. Separam-se na preferência dos caminhos escolhidos para o seu "religare" ao Pai, mas objetivam um só alvo a atingir: o aperfeiçoamento do espírito e a integração consciente em um só Deus. 
PERGUNTA: Quais são essas diferenças devocionais? 
RAMATIS: Alguns agrupamentos reúnem os escritores, autores, pensadores ou que melhor se afeiçoam pelo intelecto; outros santuários abrigam apenas os artistas, os poetas, músicos etc.; há os que são integrados só pelos cientistas, enquanto determinados templos compreendem apenas os filósofos, metafísicos e aqueles que propendem para as divagações etéreas. Distinguem-se, também, os emotivos, que formam outro grupo à parte, pois se agrupam fraternalmente através de sentimentos especificamente afetivos. Finalmente, como sói acontecer em todos os mundos, há ainda um conjunto eletivo, integrado pelos mais desenvolvidos no campo mental e espiritual, de maior consciência cósmica no orbe, que formam a comunidade avançada no campo religioso. São os mentalistas que operam em uníssono, para o desenvolvimento espiritual das coletividades menores do planeta.

PERGUNTA: Poderíamos ter uma noção mais objetiva de cada gênero devocional e das características de cada templo religioso? 
RAMATIS: Exporemos noções claras de um dos agrupamentos distintos, no qual se reúnem aqueles que se juntam exclusivamente pelos sentimentos emotivos do afeto fraterno. É o "Templo do Amor", cujos adeptos distanciam-se grandemente das elucubrações mentais, científicas ou concepções filosóficas, para se unirem sob os imperativos da emotividade espiritual e despertarem suas energias divinas. Esse templo é decorado num dos indescritíveis matizes do carmesim-rosa, numa expressão de fascinante beleza; a tonalidade suave, límpida, fulgente e amorosa diz bem o simbolismo de sua cor, que é o amor. Esse matiz que ao mesmo tempo seduz e comove, na sabedoria cromosófica da ciência marciana, foi o escolhido para um efeito iniciático nos devotos emotivos, ligando-os pelos laços invisíveis do Amor Divino. Mas é um efeito produzido na intimidade etérica do ser, porque também é utilizada a tessitura etérica da cor. Não se trata de influências objetivas, que a cor provoca atuando sobre o sistema nervoso, assim como o vermelho excita, o azul-claro suaviza ou o verde-suave desperta emoções pastorais. O efeito, obtido pelo "eterismo-carmesimrosado", no "Templo do Amor", é decalcado do mesmo matiz que revela uma aura humana, quando dominada pelo mais puro afeto. 

PERGUNTA: Só a presença dessa cor carmesim é suficiente para despertar os sentimentos afetivos dos presentes? 
RAMATIS: A maravilhosa influência das cores, nos templos, é exercida em inteligente combinação de luz, perfume e sons. Todos os recursos vibratórios que possam atuar no psiquismo do espírito reencarnado são utilizados pelos cientistas marcianos, a fim de obterem o máximo de exaltação espiritual entre os religiosos. A luz, a cor, o perfume e o som também são dotados de verdadeiros "duplos-etéricos" e "substância astral", tornando-se os mais vigorosos "despertadores etérico-astrais" no psiquismo humano. Empregados em uníssono, na mais perfeita conexão vibrátil, são recursos enérgicos e positivos que elevam as freqüências vibratórias para planos superiores. O espírito excitado pela luz, fascinado pela cor e avivado pelo perfume sintônico à emotividade, termina hipnotizado pela música e desprende-se da configuração carnal, alcançando as sutilezas dos planos edênicos. Não há milagres, privilégios ou mistérios na escalada sideral: a alma tece a sua felicidade através de um esforço disciplinado e ascensional. Os marcianos conhecem essa realidade imodificável e utilizam-se de todos os meios científicos ou psicológicos, para maior rapidez na ascensão espiritual. Nos seus esforços religiosos, para a alma religar-se ao Pai, o som, cor, luz e perfume funcionam como elementos energéticos, multiplicadores de freqüências na intimidade divina do espírito. 

PERGUNTA: Qual a idéia que poderíamos fazer, de um cerimonial no templo do amor? 
RAMATIS: Não podemos vos transmitir a série progressiva dos elementos que conduzem os adeptos ao êxtase tão desejado. É uma sincronização coletiva e sob crescente dinamismo psíquico, que escapa ao vosso entendimento comum, exceto aos iniciados nos conhecimentos ocultos. Superficialmente, podemos vos notificar que o êxito depende das vibrações em uníssono, por parte dos presentes, que devem congregar seus pensamentos e ansiedades numa só pulsação rítmica. A medida que ocorre esse sucesso de ordem mais psíquica, o ambiente vai-se polarizando de uma luz imaterial, dominando, pouco a pouco, o carmim-rosado fundamental do templo. As novas cores que surgem, em maravilhosas tonalidades astrais, assemelham-se a suaves cortinas de matizes transparentes, que sob o fundo carmim-rosa formam as mais fascinantes combinações policrômicas. Os pensamentos e as emoções dos devotos, em virtude do ambiente de magnetismo concentrado, projetam-se nessa "tela-energética" e produzem inconcebíveis figuras que se atraem, repelem, enlaçam-se ou se desagregam em suaves ondulações expansivas. Os recursos da luz, cores, perfumes e melodias que se casam em perfeita sincronia, oferecem o campo vibratório para a materialização das "formas-pensamentos" ou "figuras-emoção", assim como podeis apreciar as decorações que fizerdes com as tintas fosforescentes do vosso mundo. O êxito de tais agrupamentos religiosos, na clareza e interpretação dessas configurações mentais ou emotivas, depende, exclusivamente, da mais perfeita sintonia psíquica de todos. Os templos religiosos em Marte, sob esse diapasão elevado, constituem-se em verdadeiros templos, cujas lições memoráveis, em vez de se endereçarem à figura provisória do homem físico, dirigem-se à centelha imortal que é o espírito. 

PERGUNTA: Há algum credo em Marte, que se possa considerar propriamente "religioso", como devoção pura, independente de preferências estéticas, intelectuais ou artísticas ou emotivas? 
RAMATIS: O culto que mais se aproxima desse sentido religioso, na acepção do termo que indagais, é o "Templo da Filosofia Divina"! Magnificamente decorado num azul celeste, cuja cúpula vítrea é fundida sob um processo iniciático, que não podemos vos revelar, esse templo é um sublime "oásis" de intercâmbio com as altas esferas, onde atuam espíritos do "raio Divino"! Reúnem-se, nesse templo, todos os marcianos que se afinam pela absoluta meditação e contemplatividade; discípulos da indagação mística e preferencialmente ascéticos. Não mencionamos o vocábulo "ascético", no sentido do irmão que foge do mundo de Deus, para viver sem o mundo do qual não saiu Deus. Servimo-nos da figura de ascetismo, como nos parecendo a mais ajustável para definir-vos um estado de absoluto desprendimento, de plena renúncia, embora sem o afastamento das responsabilidades cotidianas. Esses adeptos do "Templo da Filosofia Divina" são os que integram os quadros dos orientadores, despreocupados das contingências da forma, que vivem quase em função de pureza espiritual. São verdadeiras antenas vivas, sentinelas avançadas, que fluem para a vida humana a ciência de Deus para o homem. Atuam na vida física marciana, na função de preceptores e pensadores, que lembram um tanto os vossos "mestres" ocidentais ou os "gurus" orientais. Ao mesmo tempo que conjeturam no campo científico da matéria, vivem a existência contemplativa de filósofos transcendentais e intermediários da "Verdade Única"! É o "Templo da Filosofia Divina", no orbe marciano, o de menor freqüência devido ao seu alto índice espiritual, que possui a mais deslumbrante e excelsa combinação de cores, luzes, perfume e melodias. No seu ambiente azul-celeste, puro e inigualável, se processa o "clímax" espiritual mais deslumbrante. É o êxtase mais religioso, em que o ego humano se funde ao Ego Superior, vivendo, em função . de transe, os reflexos ilimitados da Mente Cósmica. Para aqueles que nos lêem e compreendem nas entrelinhas, podemos assegurar que é no santuário da Filosofia Divina que o espírito melhor compreende o divino mistério do "Eu Sou", vivendo a saudade cruciante da Luz Eterna. 

PERGUNTA: Existem cânticos, hinos ou preces sonoras nesses templos? 
RAMATIS: Não conseguiríamos descrever os efeitos das vozes humanas nos templos de Marte, pois formam a esteira de luzes, pela qual descem as almas que confiam as mensagens do Amor Divino! Os resultados criadores que modificam o ambiente, na eclosão das vozes uníssonas, só podem ser conhecidos nos santuários iniciáticos do vosso mundo, através dos "mantrans" sincrônicos e coletivos, das hosanas e evocações que são os cânticos universais! Só os absolutos desprendimentos das configurações humanas, em estados de êxtase divino, podem vos delinear a maravilhosa combinação dos sons da voz marciana, com os deslumbrantes monumentos de sons e cores! 

PERGUNTA: Essas instituições religiosas, constituídas por diferentes aspectos psicológicos, poderiam se unir, num trabalho uníssono, sem conflito doutrinário? 
RAMATIS: O nível de compreensão espiritual dos marcia nos não permite a eclosão de conflitos ou diferenças em postulados do mundo provisório, porque estão identificados pela mesma unidade de objetivos. Em épocas especiais, mais conhecidas como "festivas solarianas", eles reúnem-se no "Santuário Fraterno" e o co-participam, todos os cultos, na mais deslumbrante e elevada festividade de caráter fraterno e divino! Fundem-se todos os modos devocionais em uma só expressão de religiosidade, na mais vigorosa e esfuziante espiritualidade. Unidos pelo mesmo Ideal e vibrando sob a mesma emoção espiritual, projetam para a Fonte do Amor, que é Deus, a mais sublime e índescritível prece coletiva, onde a Fé se integra à Ciência, e formam a segurança biológica e psíquica do planeta. 

PERGUNTA: Em Marte existem núcleos de Fraternidades Iniciáticas ou Instituições Ocultas, que preservam certos conhecimentos inoportunos à massa? 
RAMATIS: Não existem instituições deliberadamente iniciáticas porque os marcianos não usariam para fins desregrados qualquer conhecimento superior.. Tudo lhes é oferecido à luz do dia; cada um absorve e assimila o que lhe é possível, sem necessidade de simbolismos que velem o que, sendo conhecido, pode ser criminosamente utilizado. Vivem em harmonia constante com os valores estabelecidos pela Inteligência Suprema e não traçam divisões de momentos religiosos no interior dos templos, e momentos profanos na vida exterior. Freqüentam os templos como os alunos comparecem à instituição escolar, a fim de desenvolverem suas energias criadoras. 

PERGUNTA: Não há preocupações de congregarem-se em associações que reúnam, ao mesmo tempo, o desenvolvimento esotérico e a filantropia? 
RAMATIS: A filantropia associada ao hermetismo, símile da maçonaria terrena, é dispensável em Marte, em virtude da absoluta correção do Governo, que exerce o seu mandato atendendo completamente todas as necessidades da população. Causaria imenso espanto a necessidade urgente de agremiações particulares, filantrópicas, a fim de atender o descaso ou a incompetência do conjunto governamental. Não podeis avaliar a lisura administrativa entre os marcianos, sem qualquer comparação com os salteadores de "Traje a Rigor", que ainda possuís no vosso mundo! 

PERGUNTA: Porventura todos são oniscientes? Não existem mais avançadas concepções de vida ou forças perigosas, que aconselhem sigilo para com os menos credenciados? 
RAMATIS: Essa justificável necessidade que tendes, no vosso mundo, de velar a luz dos símbolos iniciáticos, os conhecimentos transcendentais ao homem comum, é devido ao terrícola ainda viver em contradição com os valores sublimes do Alto. Há perigo para a vossa coletividade, se o cidadão terres tre fica de posse de energias poderosas ou de conhecimentos excepcionais, antes de sua evangelização integral. Assemelha-se ao infante terrível, sem controle ou senso de responsabilidade, munido de bombas explosivas ou armas destruidoras. Se ainda não sabeis utilizar, sob critério superior, os recursos da energia atômica, o que não faríeis, tomando conhecimento de segredos de certas causas, se decidísseis intervir ostensivamente nas coletividades adversárias? Daí, os justos receios dos vossos Mentores Espirituais, que transmitem poderes excepcionais só aos dotados de consciência espiritual desenvolvida, capazes da renúncia ao "desejo" de mando no mundo material. Conseqüentemente, em Marte, é bastante a capacidade de assimilação mental, para se estar de posse do máximo possível ao grau sideral do orbe. Na verdade, existe um grupo de eleitos em espírito, que podem compreender com mais profundeza certas revelações prematuras, enquanto outros, menos agraciados, sem intelecto ficam apenas com as luzes de superfície. 

PERGUNTA: Há diferenças mentais, nas interpretações entre os adeptos dos vários templos religiosos? RAMATIS: Inegavelmente, em todas as manifestações de vida cósmica, continuam as diferenças mentais entre os seres. A Suprema Unidade é resultante de inúmeros aspectos, aparentemente contraditórios, que se unem na mesma pulsação ascensional. Os marcianos também manifestam diferenças nas interpretações dos valores secundários da Revelação: mas não criam conflitos, noções de adversários ou afinidades sectaristas. Reconhecem que só há uma Realidade Divina, insofismável e indefinível pelo homem, guardando o mútuo respeito pelas opiniões e concepções alheias. Nenhum templo religioso se considera detentor de toda a Verdade, assim como viciais a função religiosa no vosso mundo. Cada instituição marciana se afirma possuir um "pouco de Verdade", concluindo que toda essa Verdade, para ser comprovada, terá que ser a soma de todas as concepções existentes no Cosmos. Desinteressam-se, portanto, de afirmações parciais ou de interpretações conceptuais à parte. 

Fonte:
A VIDA NO PLANETA MARTE E OS DISCOS VOADORES
RAMATIS

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A evolução espiritual nos mundos materiais e os profetas por RAMATIS

A VISÃO ESPÍRITA DA FAMÍLIA

ESPÍRITOS BARULHENTOS estudo da REVISTA ESPÍRITA de 1859