ESPÍRITOS REJEITADOS NA GRAVIDEZ PELOS PAIS - ANDRÉ LUIZ




1) Diante da recusa de certos casais em receber um ser, que está sendo gerado, na presente reencarnação ou em passadas, quais as possíveis conseqüências dessa atitude? E qual a atitude dos espíritos?

Quando um casal está para receber um espírito como filho é porque já assumiu esse compromisso no plano espiritual, pois a família é constituída de acordo com a necessidade evolutiva de seus componentes. Portanto, a recusa, durante a vida na matéria, implica em séria infração, atrasando seu progresso. Quanto ao espírito rejeitado, a atitude que adotará vai depender de seu estágio evolutivo, se for um espírito com alguma evolução, saberá perdoar os ex-futuros pais que frustraram sua reencarnação e ficará aguardando nova oportunidade, porém, se for um espírito ainda pouco evoluído, que cultive sentimentos pouco nobres, fatalmente irá procurar vingança, podendo gerar um processo obsessivo.



2) Por que motivo o grupo de amigos não poderia entrar na câmara de Raquel?
Por que, àquela altura, os Construtores Espirituais ainda se encontravam no trabalho de magnetização celular e o reencarnante não podia se afastar da futura mãe. Além disso, a visita certamente causaria alteração no estado emocional de Raquel, com prejuízo para todo o processo.



3) Qual seria o motivo da tristeza de Segismundo durante o processo reencarnatório?
Em primeiro lugar, o receio de tornar a fracassar, desperdiçando mais uma oportunidade. Em segundo, a recusa do futuro pai, que, em princípio, se recusava a cumprir o compromisso assumido no plano espiritual, de recebê-lo como filho, fato só contornado graças ao trabalho intercessório da equipe de benfeitores.



4) De que maneira nossos afetos, no plano espiritual podem nos auxiliar nesse processo de reencarnação?
Oferecendo apoio e demonstrando confiança. Como esclarece a questão 342 do Livro dos Espíritos, dependendo de seu adiantamento, os espíritos afins acompanham e incentivam o reencarnante até o último momento que antecede sua partida ao mundo corporal.



5) Estaria totalmente encerrado o processo de reencarnação com renascimento?
A integração do espírito ao novo corpo somente se completa por volta dos sete anos da nova existência. A partir daí, materialmente, a reencarnação está consumada. Porém, somente aos poucos é que o espírito vai retomando suas aptidões e assumindo sua personalidade. Entendo que, como é um projeto que visa a evolução, a reencarnação somente se consuma ao final da nova existência, com o retorno do espírito ao mundo espiritual. 



a) A gravidez é uma dádiva oferecida aos seres humanos por Deus, possibilitando trazer para nosso plano aqueles que necessitam aqui estar, para que seja feito o resgate de dívidas passadas. Caso haja uma resistência muito grande por parte dos pais em relação àquela criança que está sendo gerada, acredito que ela possa sentir-se rejeitada, mesmo ainda estando no ventre materno, o que poderia de alguma forma repercutir no relacionamento com os pais. E se for uma criança acometida de Síndrome de Down? Ou de um outro distúrbio qualquer?
Hermínio C. Mirando no livro Nossos Filhos são Espíritos, conduz o assunto no capítulo Filhos Deficientes. Lembrarmos de 04 aspectos em casos de filhos deficientes:
1 - temos que lembrar que a pessoa que nos foi entregue é um ser humano, filho de Deus.
2 - por alguma razão, veio para junto de nós um espírito condicionado a certas limitações, contornáveis umas, irreversíveis outras, que nos compete aceitar para enfrentar as dificuldades decorrentes.
3 - a dor, a desarmonia, o desajuste, são situações transitórias. A lei divina provê para todos um estado final de felicidade permanente, todo sofrimento é transitório. Não há sofrimento eterno. Há seres que sofrem por mais ou menos tempo, conforme a natureza de seus erros, e na razão direta do seu esforço.
4 - os pais de uma criança deficiente têm, necessariamente, um envolvimento pessoal na questão. Em outras palavras: têm uma quota de responsabilidade perante aquele ser, ainda que não obrigatoriamente resultante de uma culpa.



b) É dito que uma criança só termina o processo reencarnatório por volta dos sete anos. E que há uma grande relação entre esse processo e o desenvolvimento do sistema endócrino (glandular). 
Há um envolvimento do desenvolvimento físico que passa pelo sistema endócrino (pineal e sua função), que somente a partir dos 07 anos encontra-se mais preparada atingindo seu maior desenvolvimento na puberdade. O processo reencarnatório no sentido de preparaçao para retorno ao mundo terreno, ou seja, gravidez e nascimento sim, mas como processo de reencarnação mais abrangente em sentido de evoluçao e crescimento, entendo que este não é terminativo após o parto, mas sim construído dia a dia até o retorno ao mundo espiritual.

Do livro: Missionários da luz
Espírito André Luiz
Médium: Francisco Cândido Xavier

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A evolução espiritual nos mundos materiais e os profetas por RAMATIS

A VISÃO ESPÍRITA DA FAMÍLIA

ESPÍRITOS BARULHENTOS estudo da REVISTA ESPÍRITA de 1859