A EDUCAÇÃO DO FUTURO NA TERRA por RAMATIS

🔺
#Ramatis



PERGUNTA: Como são os edifícios escolares, em Marte?

RAMATIS:
 São algo semelhantes às últimas edificações escolares do vosso mundo, que já se constroem em função da necessidade pedagógica. Formam conjuntos extensos, comportando dezenas de edifícios amplos, de material vítreo, translúcido, alguns de forma retangular, com o aspecto de enormes blocos de vidro terrestre, inteiriços, de cobertura plana; outros são ovóides, de abóbadas maciças, e cercam a edificação principal, assemelhando-se aos tanques gigantes das refinarias de petróleo, caracterizando-se pelas suas estruturas agradavelmente coloridas e iluminadas. Lembram imensos focos de luz polarizada, entre vastos caramanchões cobertos por trepadeiras solferinas e cipós cor de topázio. Nas bases inferiores, viceja prodigalidade de flores cor de rubi e gema-ovo, brotando do seio de aveludados cinturões de vegetação lilás, de imaculada brancura, e que constituem fascinantes rodapés de relevos vivos e rendilhados cintilantes. Extensos canteiros de grama esmeraldina, com reflexos avermelhados, servem de tapete natural para os estudos ao ar livre, sob a direção de afetuosos preceptores.

PERGUNTA: Quais as cores preferidas para essas escolas?

RAMATIS:
 As cores internas ou externas são as do próprio material de que são feitas as paredes, à semelhança das residências a que já nos referimos. As salas de estudo afiguramse espaçosos caixões de cristais suavemente coloridos, que absorvem a luz solar e a polarizam para o interior, em tons sedativos e poéticos, propiciando uma riqueza de matizes refrescantes, nas zonas tropicais, e caloríficos nas regiões polares. 
As paredes, assentadas em compridas e transparentes corrediças de metal polido, podem ser deslocadas facilmente, formando amplas aberturas que põem em comunicação com o interior das salas vastíssimos jardins externos, que as inundam de perfumes inebriantes, trazidos pela brisa das colinas.
PERGUNTA: Exige-se, também, nas escolas, a cor funcional ao tipo de estudo?

RAMATIS:
 Essa peculiar disposição de cor funcional, como é exigível em Marte, refere-se à necessidade de a alma se exercitar, gradualmente, nos campos de todas as atividades humanas, a fim de incorporar em si maior padrão de cores, sons, luzes e perfumes, aumentando sua bagagem sideral e apressando a sua ventura eterna, no apercebimento vibratório das belezas cósmicas. Eis por que as salas reservadas aos estudos científicos ou pesquisas são iluminadas comumente por suaves tons lilases "extraterrenos",
sugerindo cores além do violeta; as cogitações filosóficas se processam em ambiente de sedativo azul-claro; os esforços intelectuais mais objetivos, ou de ordem mental criadora, se realizam sob a luz amarelo-dourada; as evocações históricas, como são de caráter mais afetivo, sucedem-se nos salões de refulgente carmim-rosado, a cor do afeto.

RAMATÍS/HERCÍLIO MAES - A VIDA NO PLANETA MARTE E OS DISCOS VOADORES

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A evolução espiritual nos mundos materiais e os profetas por RAMATIS

A VISÃO ESPÍRITA DA FAMÍLIA

ESPÍRITOS BARULHENTOS estudo da REVISTA ESPÍRITA de 1859